Enquanto os cristãos reforçam suas convicções apoiando o conservadorismo, há um braço do cristianismo se envolvendo com ideias progressistas e abraçando causas que vão contra a Palavra de Deus como o aborto e a união entre pessoas do mesmo sexo.

Para a cantora Taylor Swift, que afirma ser cristã e de esquerda, defensora do aborto e da causa LGBTQ+, apoiar essas causas é o “verdadeiro cristianismo”, conforme aponta uma reportagem da CBN News.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADEA declaração é dada no documentário “Miss Americana”, estrelado pela cantora e disponível na Netflix, onde ela fala sobre sua mudança de postura, deixando de ser apolítica e vinculando sua visão à esquerda juntamente com a sua religião.

O documentário mostra uma discussão entre a cantora, seus pais e publicitário sobre como ele deve postar mensagens nas redes sociais sobre sua entrada na política e as reações que ela poderia gerar.

Swift também aparece criticando as políticas e crenças cristãs da senadora Marsha Blackburn, republicana e ativista pró-vida que em 2018 disputava uma vaga no Senado.

“Vejo Marsha Blackburn disfarçando essas políticas por trás das palavras ‘valores cristãos do Tennessee’.

Esses não são valores cristãos do Tennessee.

Eu moro no Tennessee.

Sou cristã.

Não é isso que defendemos.

”Swift também defendeu o aborto em 2019, quando disse ao The Guardian: “Quero dizer, obviamente, sou a favor da escolha … não acredito que estamos aqui.

É realmente chocante e horrível.

E eu só quero fazer tudo o que puder para 2020.

Quero descobrir exatamente como posso ajudar”.