"Amar a Jesus nem sempre cura pensamentos suicidas", desabafou Jarrid Wilson no dia em que tirou a própria vida


O pastor Jarrid Wilson, de 30 anos, que atuava, há 18 meses, como conselheiro de saúde mental na Harvest Christian Fellowship, na Califórnia (EUA), cometeu suicídio na noite desta segunda-feira (9). Wilson lutava contra a depressão e pensamentos suicidas. No dia em que tirou a própria vida, ele fez um desabafo a respeito da sua situação no Twitter.


– Amar a Jesus nem sempre cura pensamentos suicidas. Amar a Jesus nem sempre cura a depressão. Amar a Jesus nem sempre cura o Transtorno de Estresse Pós-Traumático. Amar a Jesus nem sempre cura a ansiedade. Mas isso não significa que Jesus não nos oferece companhia e consolo. Ele sempre faz isso.


Em suas redes sociais, o pastor Greg Laurie, fundador da Haverst Christian, lamentou a morte de Jarrid. Em suas palavras, Laurie disse estar em choque com a notícia e falou do quanto Wilson tinha um coração de servo e como era uma pessoa vibrante e positiva.


– Às vezes as pessoas podem pensar que, como pastores ou líderes espirituais, estamos de alguma forma acima da dor e das lutas das pessoas comuns. Nós é que devemos ter todas as respostas. Mas nós não. No final do dia, os pastores são apenas pessoas que precisam alcançar Deus por Sua ajuda e força todos os dias. Ao longo dos anos, descobri que as pessoas falam sobre o que mais lutam. Um momento sombrio na vida de um cristão não pode desfazer o que Cristo fez por nós na cruz. Sabemos que Jarrid depositou sua fé em Jesus Cristo e também sabemos que ele está no céu agora. Mantemos a promessa de Apocalipse 21: 4, que nos lembra que no Céu não há mais tristeza, sofrimento ou morte. A família Harvest perdeu uma luz brilhante. Orem por nós enquanto lamentamos juntos – lamentou.

Jarrid Wilson era casado com Julianne e era pai de Finch e Denham. No Instagram, Julianne postou um vídeo do marido brincando com uma das crianças e disse o quanto queria poder abraçá-lo novamente.


– Sinto sua falta além do que meu coração pode suportar. Obrigado por amar nossos meninos e a mim com a maior paixão e altruísmo que já vi ou senti em toda a minha vida. Eu faria qualquer coisa por um abraço seu agora. Os meninos e eu sentimos tanto a sua falta. Eu também te amo. Muito mais do que você jamais poderia saber. Gostaria de poder dizer isso agora. Todos nós gostaríamos.


DEPRESSÃO NÃO É FALTA DE DEUS


Avaliando o caso do pastor Jarrid Wilson, o pastor e psicólogo Ângelo Éder, da Igreja Batista em Viçoso Jardim, em Niterói (RJ), afirma que restringir a depressão à falta de Deus é muito simplista. Ele explica que a doença pode ser fruto das experiências pelas quais o indivíduo passou, como culpa, ira ou rejeição.


– No aspecto espiritual, o maligno sempre vai trabalhar por onde tem brecha. Ele vai trabalhar com essas mazelas da alma levando ao agravamento da depressão para levar a pessoa ao pensamento suicida. Com respeito ao fato de cristãos se suicidando, não somos diferentes porque o ser humano é basicamente o mesmo. Se as mazelas na alma não forem resolvidas, em algum momento essas raízes antigas vão levar a pessoa, mesmo na vida adulta, a um quadro de depressão.


O pastor Douglas Gonçalves, fundador do movimento JesusCopy, acredita que o isolamento é uma das causas do suicídio. Ele afirma que muitos pastores são forçadas a se parecer com super-homens e acabam se isolando.


– No momento em que eu me isolo e fico preso nas minhas ideias, eu tenho uma chance muito grande de entrar em um quadro de depressão ou de ansiedade. Eu não fui feito para ficar olhando para mim. No momento em que vivo olhando para mim, na síndrome da selfie, na síndrome do espelho, eu entro em um quadro desse porque não é natural diante da forma com que Deus nos criou. Esse é o problema da nossa geração: a gente é muito egocêntrico – conclui.


BUSQUE AJUDA


No Brasil, o Centro de Valorização da Vida é uma das instituições que dão apoio emocional e trabalham para prevenir o suicídio. Para pedir ajuda ligue para o número 188 ou acesse o site