Presidente afirmou que divulgação de desmatamento pelo Instituto atrapalhou o Brasil


O presidente Jair Bolsonaro defendeu neste domingo (4) as razões que o levaram a determinar a exoneração do diretor do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), Ricardo Galvão, que criticou o mandatário durante uma controvérsia envolvendo dados de desmatamento divulgados pelo órgão.


Segundo o presidente, não havia mais clima para Galvão continuar à frente do Inpe após as declarações feitas pelo gestor do Instituto. Bolsonaro também voltou a criticar a divulgação dos dados do Inpe, que mostraram o que seria um aumento de 88% do desmatamento em junho. O presidente avalia que há interesses no mundo para desacreditar o Brasil.


– Você mexe com economia do mundo. Estamos adiantados com Mercosul, com Japão, Coreia do Sul, Estados Unidos. Isso dá um freio na gente, perde todo mundo – afirmou.


Para Bolsonaro, os dados deveriam ser mantidos reservados antes da divulgação.


– Quando ele faz a compilação, etc, ele tem que tomar conta desses dados – afirmou, exemplificando com o papel do presidente do Banco Central no anúncio de taxas de juros após reunião do Copom (Comitê de Política Monetária).


*Folhapress