“Graças a Deus, deu tudo certo!”, foi a primeira frase que Polyana Resende disse ao Só Notícia Boa, se referindo ao filho dela, que nasceu na semana passada. O bebê foi operado de um tumor quando ainda estava na barriga da mãe, milagres que a ciência proporciona e que emocionam!

Ragnar nasceu no dia 18 de maio, mas já lutava pela vida ainda no útero da mãe. E, graças a uma cirurgia inédita no Brasil, feita ainda na barriga da genitora, um tumor que estava crescendo foi destruído.

O caso aconteceu no Distrito Federal, onde a família mora e o procedimento é considerado de alto risco. Os papais, a jornalista Polyana Resende Brant e o servidor público Tiago Resende Brant, ambos com 38 anos, celebram a vida do pequeno guerreiro.

“Precisamos exaltar a ciência e reconhecer que ela pode sim andar de mãos dadas com a fé. A nossa história uniu profissionais que eram referência em Medicina Fetal, inovação tecnológica e uma corrente de amor, vibrações positivas e muita oração. Essa soma resultou em um milagre!”, agradeceu Polyana.

O caso

No sexto mês de gestação, o bebê Ragnar foi diagnosticado com quadro grave de hidropsia — condição que desencadeia derrames pleurais, abdominais, subcutâneos, intracranianos e testiculares — e sequestro pulmonar, em que um tumor na caixa torácica estava sendo irrigado por uma aorta e chegou a pressionar o esôfago.

Caso não houvesse intervenção cirúrgica, a situação levaria a óbito fetal.

A médica especialista em cirurgia fetal Danielle Brasil, do Hospital Santa Lúcia, foi quem operou o bebê. Segundo ela, esse tipo de procedimento é muito delicado e só é feito quando a vida do neném está em risco.

“A gente entra com uma agulha grossa no tórax, anestesia o bebê, anestesia bem a parede do útero, e a barriga da mãe”, contou a médica.

Duas cirurgias

Na primeira cirurgia, foi queimado apenas o vaso que estava nutrindo o tumor. Porém, após uma semana, o tumor tornou a crescer.

Polyana e Tiago, juntamente com as médicas, optaram por realizar nova cirurgia, essa inédita, e, desta vez, para queimar o tumor inteiro.

Foram quase quatro horas de operação, sem anestesia. Polyana já estava com oito meses de gestação!

“A prova do milagre é que o neném não tem nenhuma cicatriz. Esse milagre foi completo. Ele tem nome de guerreiro não é à toa. Antes mesmo de nascer, ele enfrentou duas batalhas e venceu as duas”, comemorou Polyana.

Ragnar nasceu forte e curado. Desejamos a essa linda família muita saúde e felicidades!

Fonte: sonoticiaboa