Atirador de escola na Flórida afirma que “vozes de demônios” o guiaram

Declarações de Nikolas Cruz foram consideradas sinais de doença mental

Logo após uma grande tragédia é comum as autoridades revelarem informações aos poucos, após a confirmação (ou não) das narrativas.

Quando Nikolas Cruz, 19 anos, invadiu a escola Marjory Stoneman Douglas, em Parkland, Flórida, na quarta (14) seu objetivo declarado era matar o maior número possível de pessoas. Armado com um rifle AR-15, ele disparou contra os alunos e professores, deixando 17 mortos e dezenas de feridos. Sete pessoas ainda estão hospitalizadas por causa dos ferimentos, uma em estado grave.

Em determinado momento, largou o rifle, e se misturou com os estudantes que fugiam do local, indo para um supermercado próximo e depois para um Mc Donald’s. Não demorou muito para a polícia identifica-lo e prendê-lo.

Segundo o relato dos policiais, questionado sobre sua motivação, Cruz afirmou que “vozes de demônios” lhe deram instruções para o ataque. Conforme a reportagem da rede ABC, as autoridades tratam a declaração como sinais de um possível transtorno mental.

Foi revelado que Cruz passou a viver com a família de um amigo após sua mãe adotiva, Lynda Cruz, 68 anos, ter morrido em novembro, devido a uma pneumonia. Seu pai tinha falecido quando ele era criança e não tinha parentes conhecidos.

Especialistas acreditam que após o julgamento ele deverá ser condenado à morte.

Orações pelo assassino

Na noite de quinta-feira, mais de 1.000 pessoas participaram de uma vigília à luz de velas no Anfiteatro Pine Trails Park, em Parkland, onde estavam muitos estudantes da escola atacada e parentes das vítimas.

Entre os pedidos para um controle de armas mais rígido por parte do governo, alunos da escola choravam e lamentavam a perda de colegas e professores.

Dezessete cruzes foram colocadas no gramado para lembrar cada vítima. Diferentes líderes religiosos participaram da vigília, conduzindo as pessoas em oração e oferecendo palavras de encorajamento.

Um dos pastores leu a seguinte oração, em favor do assassino: “Nós pedimos que o Senhor intervenha na mente perturbada dele e lhe mostre a esperança que só pode ser encontrada em ti. Oramos para que seu agir milagroso seja evidente nele apesar do que ele fez”. Com informações de Daily Mail e ABC

Categoria:Internacional

Deixe seu Comentário